O que ver na Colina do Castelo de Budapeste

Há muito o que ver na Colina do Castelo em Budapeste, afinal alguns dos pontos turísticos mais famosos da cidade ficam nesta colina. O local também é conhecido como Colina de Buda, pois está localizado à 170m sobre o rio Danúbio no Distrito de Buda na cidade de Budapeste, capital da Hungria.

Com certeza você também vai se encantar por essa parte da cidade, pois tem várias atrações e lugares lindos para visitarmos.

Admirando a beleza do Bastião dos Pescadores e a vista de Peste

Antes de mais nada, adianto que o lugar é bem grande, quase uma pequena cidade dentro de outra cidade. Em outras palavras, para você ter uma ideia, nós ficamos na colina de 13h às 18h10 e não vimos nem metade do que tem por lá. Portanto, se você tiver disponibilidade de tempo, sugiro que tire um dia para visitar a Colina do Castelo de Budapeste com calma e poder desfrutar ao máximo de todas as atrações. 

Como chegar à Colina do Castelo de Budapeste

Na Praça Adam Clarck fica a bilheteria do Funicular para a Colina de Buda. Além disso, os ônibus partem dali para a colina e se você quiser subir a pé, é nesse ponto que terá o acesso às escadas e à trilha.

Nós subimos de funicular e descemos de ônibus. O valor do funicular em agosto de 2021 estava: ida 1400 Ft / ida e volta 2000 Ft. Lembrando que a moeda na Hungria é o Forint Húngaro, desse modo, veja a taxa de câmbio na data de sua viagem. Por exemplo, na conversão de hoje, 28/03/2022, esses valores equivalem à R$19,66 (3,73 €) a ida e R$28,09 (5,33 €) ida e volta. 

Vista da Ponte das Correntes de centro do Funicular

O valor do ônibus não sei precisar, pois estava incluído no bilhete semanal que compramos. Mas, também é possível subir e descer a Colina do Castelo de Budapeste de ônibus, de táxi ou até mesmo caminhando. Dizem que a trilha é linda e bem tranquila de subir.

Uma curiosidade: o Funicular original, inaugurado em 1870 foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial. Dessa forma, o que está em funcionamento atualmente foi reconstruído e reinaugurado em 1986.

Bilheteria do Funicular para o acesso à Colina do Castelo

Afinal, o que ver na Colina do Castelo de Budapeste?

Castelo de Buda

O castelo também é conhecido como Palácio Real pois já serviu como residência dos reis da Hungria. Ao passo que continua sendo um dos edifícios mais importantes do Distrito de Buda, hoje em dia abriga a Biblioteca Széchenyi, a Galeria Nacional Húngara e o Museu de História de Budapeste

Castelo de Buda

Ademais, em 1987 o Castelo foi classificado como Patrimonio da Humanidade pela UNESCO (Organização  das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Nós não chegamos a entrar no castelo, somente apreciamos o espaço pelo lado de fora, tudo enorme e com uma arquitetura belíssima. A saber, é possível comprar entradas para o Labyrinth, que são passagens medievais secretas dentro do castelo.

Parte lateral do Castelo de Buda

É um lugar muito bonito, vale a pena passar um tempo admirando sua arquitetura e as vistas incríveis que rendem belas fotos do rio Danúbio. Sugiro, por exemplo, que atravesse o portal arqueado guardado por esculturas de grandes leões feitos em 1901 pelo escultor János Fadrusz. Bem como, que passeie pelo Pátio dos Leões, onde verá os edifícios que levaram décadas para serem construídos e hoje abrigam o Museu de História de Budapeste, a Biblioteca e Galeria Nacional Húngara.

Colina do Castelo – Pátio dos Leões

No entorno do castelo há muitos monumentos, jardins e belas vistas da cidade que rendem fotos excelentes.

Fonte de Matias

Achei tão linda essa fonte, as esculturas tem uma riqueza de detalhes que impressiona. A princípio eu não sabia que ela conta uma história baseada numa balada do poeta Mihály Vórósmarty. Depois que soube, me interessei ainda mais por essa fonte. Enfim, a balada é sobre o rei Matias Corvino, quando este ainda jovem estava em uma de suas caçadas, algo comum aos nobres da época. Supostamente, nessa caçada ele conheceu uma bela camponesa chamada Ilonka, por quem se apaixonou perdidamente. Dizem que contavam esse tipo de história na época como forma de enfatizar a personalidade romântica do rei húngaro.

Fonte de Matias, Colina do Castelo

A fonte fica no pátio oeste do Castelo de Buda. Aproveitamos que estava calor para descansarmos e curtirmos um pouco no Royal Guard Café (Föörség és Lovarda). Com ambiente tradicional e charmoso, fica em frente à Fonte de Matias.

Fonte de Matias

Antigo Monastério Carmelita e Sándor Palace

Ao sairmos da área do castelo caminhamos em direção ao Centro Histórico da Colina do Castelo de Budapeste. Nesse trajeto paramos várias vezes para admirar os lugares, edifícios, um mirante e algumas esculturas que chamaram nossa atenção. Como, por exemplo, o Sándor Palace, construído em 1806 e que atualmente serve de gabinete e residência oficial do Presidente da Hungria. Infelizmente, não tenho nenhuma foto desse palácio.

Também o belo edifício do Monastério Carmelita, construído em 1763 como igreja e mosteiro. Mas, a partir de 1787 serviu de Teatro da Corte de Buda, entre 2001 e 2014 abrigou o Tetro Nacional de Dança e, se não me engano, hoje é a atual sede do primeiro-ministro da Hungria. 

Em frente ao edifício do Monastério Carmelita está uma escultura em homenagem ao Conde István Bethlen que foi primeiro-ministro da Hungria por 10 anos, entre 1921 e 1931.

Escultura em homenagem ao Conde István Bethlen

Centro Histórico da Colina do Castelo de Budapeste

Você vai passar por várias casas coloridas e lindas, todas “coladinhas” umas nas outras. Pelo que disseram, antigamente elas pertenciam aos aristocratas húngaros. Se possível, caminhe pela rua Úri, é uma rua residencial com belas casas e, se der sorte, pode ser que veja algum dos pátios com os jardins que dizem ser encantadores.

Além de lojas, padarias e cafés, na Colina do Castelo de Budapeste você vai encontrar muitas opções de bons restaurantes. Tem uma rua com uma praça onde no verão as áreas externas dos restaurantes e bares ficam lotadas e o ambiente é super agradável. 

Centro Histórico da Colina do Castelo de Buda

Nós almoçamos no restaurante italiano Jamie Oliver, sentamos na área externa com vista para a praça e para a torre da igreja de Matias. Foi uma excelente escolha! Falo mais sobre esse restaurante no post sobre Onde comer em Budapeste. Mas, de qualquer forma, se você não quiser comida italiana, não tem problema, com certeza por ali vai encontrar um restaurante que te agrade.

Ainda no centro histórico você poderá visitar a Igreja de Matias, o Bastião dos Pescadores, a Buda Tower e logo abaixo tem o histórico Hospital na Rocha.

Igreja de Matias

Uma das igrejas mais importantes da Hungria. Fiquei admirada com a arquitetura dessa igreja e chama a atenção o telhado dela, em azulejo com mosaicos coloridos, todo trabalhado na beleza!

É possível subir à torre do sino da igreja acompanhado de um guia, contudo saiba que são 197 degraus para chegar ao topo da torre. Mas, dizem que vale a pena por conta das vistas privilegiadas e sem toda a movimentação que encontramos no mirante do Bastião dos Pescadores.

Igreja de Matias, Colina do Castelo de Buda

Sobre a Igreja de Matias

  • Seu nome é uma homenagem ao rei Matias Corvino (Corvinus Mátyás, em húngaro). Um dos personagens mais importantes da história da Hungria;
  • Foi construída entre os séculos XIII e XV;
  • Foi transformada em Mesquita nos 145 anos em que os Otomanos tiveram o domínio sobre Buda;
  • Nesta igreja foram coroados alguns reis da Hungria, como por exemplo o rei Francisco José e a rainha Sissi(Isabel Amália Eugénia da Baviera, Imperatriz da Áustria). Aliás, dentro da igreja tem uma estátua em homenagem à ela;
  • A construção original foi bombardeada pelos soviéticos no cerco a Buda, em 1944-45;
  • O estilo predominante é o neogótico. Por fora ela tem estilo gótico e é clarinha com telhado colorido, por dentro o estilo é barroco, toda colorida;
  • O telhado multicolorido somente foi adicionado entre 1950 e 1970;
  • O Museu de Arte Eclesiástica fica nessa igreja;
  • Localizada na Colina do Castelo de Budapeste, em frente ao Bastião dos Pescadores.
Detalhes da Igreja de Matias

Praça da Santíssima Trindade

Bem em frente à Igreja de Matias há uma praça construída no final do Séc. XVII. Nela se destaca uma escultura barroca dedicada à Santíssima Trindade, também conhecida como Coluna da Peste. A primeira obra foi erguida em 1706 em agradecimento pelo término da pandemia de peste. Contudo, ela foi bem danificada durante a Segunda Guerra Mundial e algumas de suas partes originais estão no Museu Kiscelli em Budapeste. Mas, as estátuas que ficam no topo da coluna, resistiram aos bombardeios. A coluna tem 14,4m de altura, é feita em calcário, tem vários afrescos, estátuas e uma placa com a inscrição de uma oração em latim.

Coluna da Peste na Colina do Castelo de Buda

Bastião dos Pescadores

Sem dúvidas, um dos lugares mais bonitos de Budapeste! Por ficar no alto da colina de Buda, este mirante tem vistas privilegiadas do lado Peste e do rio Danúbio. Além disso, a bela arquitetura que faz parecer que estamos em um castelo de contos de fada, traz um charme especial ao local. Realmente foi um lugar que me encantou muito. 

Bastião dos Pescadores – Colina do Castelo de Buda

Curiosidades sobre o Bastião dos Pescadores

  • Seu projeto e construção iniciaram em 1895 e foi inaugurado em 1902; 
  • Possui sete torres que homenageiam as sete tribos fundadoras da Hungria; 
  • Tem esse nome porque na Idade Média havia um mercado de peixes nesse local e a associação de pescadores foi responsável pela defesa dessa área;
  • Foi construído para celebrar os mil anos de existência do Estado Húngaro e também para decorar a Igreja Matias.
Mirante Bastião dos Pescadores na Colina do Castelo em Budapeste

Nas galerias abaixo das torres fica o Panoramia Café & Bar. Nós passamos um bom tempo por lá, desfrutamos de uma vista linda do Parlamento, num lugar tranquilo e aconchegante. 

Anteriormente me disseram que para subir às torres e acessar a parte superior do mirante do Bastião dos Pescadores teríamos que pagar. Mas, quando chegamos lá não havia nenhuma roleta na entrada para as escadas e o acesso estava liberado. Portanto, não tivemos que pagar nada. Dessa forma, não sei precisar se tivemos sorte e isso se deu somente por um determinado período ou se estará sempre aberto ao público de forma gratuita. 

Bastião dos Pescadores, Colina do Castelo de Buda

Estátua Equestre do Rei Estevão I

No centro da praça do Bastião dos Pescadores, em frente à Igreja de Matias há uma famosa estátua equestre do Rei Estevão I, fundador e primeiro rei da Hungria. Ou seja, um importante personagem histórico da nação húngara. 

Estátua equestre do rei Estevão I

Buda Tower e Museu do Hospital da Rocha

Como mencionei anteriormente, não vimos tudo o que tem na Colina do Castelo de Buda e dos lugares que não visitamos, sugiro essas duas atrações que me parecem bem interessantes e espero voltar para conhecer. 

Buda Tower ou Torre de Madalena é uma torre medieval que resistiu às destruições do cerco à Buda em 1945. Fazia parte da Igreja de Maria Madalena que foi destruída.

Mapa da Colina do Castelo de Buda
Mapa do Distrito do Castelo de Buda

O Museu do Hospital na Rocha fica abaixo do castelo. Próximo à Igreja de Matias há o acesso pelas escadas e por um elevador que leva até o hospital subterrâneo. Isto é, são cavernas formadas depois da era glacial que foram interligadas pelo governo para abrigar um hospital de emergência durante a Segunda Guerra Mundial. Em síntese, o local passou por muitas transformações e foi de grande importância em vários outros momentos históricos. Ao passo que hoje abriga o Museu Bunker Nuclear, que pelo que me disseram é bem impressionante. Uma verdadeira viagem ao tempo de terror sofrido ao largo da história. Se quiser mais informações, acesse o site oficial deles clicando aqui.

Seguros Promo

Lembre-se: Se você comprar chipspassagensseguro viagem ou mesmo reservar aluguéis de veículo através dos links de parceiros aqui do blog, você me ajuda a manter o Ouse Viajar no ar e ainda pode ganhar descontos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.