O que fazer em Biarritz

Em julho de 2019 recebemos a visita da Géssica e do Gerson, um casal de amigos brasileiros. Então aproveitamos que estava muito calor para curtir a praia em San Sebastián, no País Vasco. Como Biarritz fica só há 50,4 km de lá, não resistimos e fomos passar a noite em terras francesas. Biarritz é uma encantadora cidade que fica quase na fronteira entre a França e a Espanha, por isso é bem comum o “bate-volta” entre os dois países. Foi uma viagem curtinha, só de dois dias, mas foi uma delícia!

Um pouco da história de Biarritz

Anteriormente a cidade era uma pequena vila de pescadores que ganhou notoriedade no século XIX, após o poeta Victor Hugo e a realeza europeia passarem a frequentar o local. A frase: “A rainha das praias e a praia dos reis” ficou famosa após ter sido dita pela Imperatriz Eugénie de Montijo para descrever Biarritz.

Além disso, é também considerada o berço do surf europeu, tem escolas de surf e é comum ocorrerem campeonatos de surf no verão. Soube que alguns surfistas preferem Biarritz entre os meses de setembro e novembro quando há menos movimento de turistas para pegar ondas. Eventualmente as praias preferidas deles são: La Grande Plage, Guethary, La Côtes dês Basques e Anglet. Mas, o que me encantou foram o charme, o requinte e arquitetura da cidade.

Admirando a bela vista da Grande Plage em Biarritz

O que vimos em Biarritz

Dia 1

Como passamos o dia em San Sebastian, só chegamos em Biarritz às 19h40, mas era verão e ainda estava dia. Havíamos reservado um apartamento pelo Airbnb, um graça o local, pagamos 117 € para quatro pessoas. Foi uma novela para conseguirmos entrar e nos comunicarmos com a proprietária porque ela só falava francês. Após um período meio esquisito e cômico onde ela nos explicou o funcionamento das coisas, nos arrumamos rapidamente e saímos para conhecer a cidade.

Pinturas das fachadas das casas em Biarritz
Amei essas pinturas nas fachadas das casas.

Primeiramente paramos num mirante que fica no topo de uma falésia, na região de Cotê dês Basques para apreciar o pôr do sol e a bela paisagem do Golfo de Biscaia. Nesse meio tempo nos chamou atenção o movimento que havia no local, muitas pessoas brindando e o clima era super agradável.

Cotê dês Basques, pôr do sol em Biarritz

Logo depois caminhamos um pouco pela região e tivemos dificuldades em encontrar um restaurante, a maioria estava fechando, talvez por ser segunda-feira. Mas, o idioma também não favoreceu, poucas pessoas ali falavam inglês. Voltamos para buscar o carro e acabamos indo ao McDonald’s que não costuma ter erro. Ainda assim, em alguns momentos foi complicado nos fazer entender. Lanchamos e como já era meio tarde resolvemos descansar.

Dia 2

Iniciamos o dia com um café da manhã numa padaria e em seguida fomos conhecer o centro da cidade. Pensa numa arquitetura nobre! Tanto os prédios, as casas, os castelos, as igrejas, as lojas, assim como as ruas são super bonitos, decorados e bem cuidados. 

Hôtel Du Palais Biarritz 

Construído entre 1854 e 1855 em estilo Segundo Império a pedido de Napoleão III; com o intuito de presentear sua esposa Eugénie de Montijo com uma residência de frente para o mar. O casal elegeu esse lugar para ficar durante a Revolução Francesa. Dessa forma tinham o local como um refúgio, uma espécie de calmaria em meio às tempestades das batalhas.

Antiga Vila Eugénie, atual Hôtel du Palais Biarritz
Antiga Vila Eugénie, atual Hôtel du Palais Biarritz

Contudo, a Imperatriz vendeu a residência ao Banco da União de Paris em 1880 e o mesmo se converteu em hotel-cassino. Posteriormente o local foi destruído por um incêndio, sendo reconstruído entre 1903 e 1905, mantendo as paredes externas e as fachadas arquitetônicas em estilo Luís XIII. Desde então, a residência se transformou no Hôtel du Palais Biarritz, passou por várias fases e atualmente é um dos principais hotéis de luxo de Biarritz e recebe famosos do mundo inteiro. Deve ser um sonho se hospedar nesse hotel, quem sabe um dia né?!

Igreja Ortodoxa Russa 

Em síntese essa igreja foi construída em 1892 devido à comunidade russa que se estabeleceu em Biarritz. Toda em estilo bizantino é dedicada à San Alexander Nevsky.

Grande Plage (Praia Grande) 

Com toda a certeza é a maior e mais popular praia de Biarritz. Inegavelmente, tem vistas maravilhosas e realmente estava super movimentada. Além disso, fiquei encantada com as “sombrinhas” que são tipo barracas individuais, coloridas e super charmosas. 

Grande Plage em Biarritz

Ilha Rocher du Basta

Essa ilha é um encanto, está ligada ao passeio por uma ponte de pedra antiga. Dessa forma, temos uma vista privilegiada de toda a praia grande e também podemos ver ao longe o farol. Além disso, para quem curte, como eu, o local rende boas fotos!

Ilha Rocher du Basta, um dos lugares mais charmosos de Biarritz

Igreja Sainte Eugénie

Em estilo neogótico essa igreja foi construída em 1856 e seu nome é uma homenagem à esposa de Napoleão III. A imperatriz Eugénie de Montijo que mencionei anteriormente.

Cassino Barriere 

Construído em 1929, em estilo Art Déco e com vistas panorâmicas do oceano, o cassino municipal de Biarritz parece um palácio. 

Cassino em Biarritz

Logo após passearmos por esses lugares, entramos em algumas lojas e depois paramos num bar/restaurante super bonitinho. Pedimos duas porções que estavam bem saborosas.

Em seguida andamos por um bairro lindinho em busca de um supermercado, onde aproveitamos para comprar queijos e vinhos. Eu que amo um bom Pinot Noir não podia deixar passar essa oportunidade, afinal estávamos na França.

O charme das ruas de Biarritz

Lugares interessantes que não chegamos a visitar em Biarritz

Por fim tivemos que vir embora sem conhecer todos os lugares que gostaríamos. Mas, espero voltar algum dia e visitar os seguintes locais: O Farol (erguido em 1834 com 73 metros acimado nível do mar) somente o vimos de longe; o Rochedo da Virgem (que é ligado pela ponte projetada por Gustave Eiffel, o mesmo da torre de Paris); o Museu do Mar (com mais de 150 espécies de peixes e animais aquáticos); o Museu do Chocolate (que estava fechado quando fomos) e, além disso, os belos castelos pela cidade.

Sobre o trajeto:

Nós alugamos um carro e foi super de boa chegar em Biarritz (o trajeto foi pelas vias AP-1, AP-8 e A-63). Entre Burgos, San Sebastián e Biarritz passamos por três pedágios, cujos valores foram: 13,80 €, 1,70 € e 1,2 €. Nós não fomos parados na fronteira e nem vimos nenhuma movimentação por lá, apesar de ter lido que é comum pedirem documentação nessa fronteira.

Engraçado, escrever sobre essa curta viagem e relembrar esses momentos me deixou mega saudosista, talvez porque ainda estamos em plena quarentena por conta do COVID-19. Mas, senti saudade dos amigos, da praia, da estrada e da sensação boa de liberdade… Que essa fase ruim ao menos nos ensine a valorizar o que realmente importa né?!

Espero que tenham gostado, até a próxima!

Bjux!

8 thoughts on “O que fazer em Biarritz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *